Gestão se tornou a paixão de Dra. Helena Yuri

Segundo ela, 2022 será o ano de iniciar a corrida atrás do prejuízo e tentar ao máximo reequilibrar a saúde

Graduada na Faculdade de Odontologia da USP Ribeirão Preto em 1983, Dra. Helena Yuri atuou em consultório particular como Clínica Geral nas cidades de Bonfim Paulista, Cravinhos e Ribeirão Preto. A partir de 1995, passou a atuar também na área de Ortodontia em Bonfim Paulista e Ribeirão Preto.

Em 1997 ingressou no serviço público, onde passou a atuar como cirurgiã-dentista na UBS Parque Ribeirão Preto até julho de 2001, quando assumiu o gerenciamento da unidade e continuou exercendo a Odontologia em consultório particular até 2014, quando passou a dedicar se exclusivamente à gestão. Atualmente gerencia a Unidade Básica do Quintino Facci l.

Em entrevista à Revista APCD Ribeirão, Dra. Helena Yuri fala da Odontologia, gestão e de sua trajetória.

ENTREVISTA: 30 anos de atuação, houve muitos avanços na Odontologia, quais os mais impactantes em sua opinião? 
Helena Yuri: Diria que a Implantodontia que possibilita devolver qualidade de vida ao paciente de forma bastante efetiva, além da ampliação do campo de atuação do cirurgião dentista nas áreas de estética e harmonização facial.

Revista APCD-RP: Associar-se a APCD a estimulou como profissional?
Helena Yuri: Associar-me à APCD além de promover estímulo profissional por meio dos cursos que realizei na EAP trouxe para a minha vida alguns dos meus amigos mais preciosos, aqueles que, nas palavras de Milton Nascimento, guardo do lado esquerdo do peito.

Revista APCD-RP: Em determinado momento a Gestão passou a ser prioridade em sua carreira na qual  permanece até hoje? 
Helena Yuri: A gestão veio primeiramente como um desafio e no transcorrer do tempo transformou-se em paixão.
Lidar com pessoas - pessoas sob meu comando direto, pessoas com múltiplas necessidades de saúde e também sociais, pessoas a quem precisava me reportar, pessoas com as quais precisava me relacionar em prol do bom andamento do serviço, enfim, muitas pessoas, passou a ser minha atividade diária.
Isto foi e é muito transformador e enriquecedor e considero-me uma pessoa privilegiada, pois tive o privilégio de trabalhar basicamente o mesmo grupo por 20 anos, após os quais aposentei-me do serviço público. Mas os desafios não pararam por aí, pois em seguida fui convidada para exercer a mesma função, desta vez numa instituição público-privada.
E a partir deste convite surgiram alguns conflitos. Continuar a trabalhar ou curtir a aposentadoria e netas e poder dar mais suporte aos pais? Continuar a trabalhar, desta vez numa instituição público-privada e passar a ser considerada uma desertora? 
Tudo posto na balança sigo fazendo gestão, nem em prol do serviço público, nem em prol de instituição público-privada, mas em prol dos pacientes e dos meus objetivos pessoais.

Revista APCD-RP: Quais os maiores desafios encarados no atendimento à saúde pública?
Helena Yuri: O SUS é taxado por muitos como serviço de saúde de baixa qualidade e ineficiente e isto é uma absoluta inverdade. Um dos maiores problemas reside no financiamento do SUS. 
Um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em parceria com a organização não governamental Contas Abertas e publicada pela Agência Brasil em 08/10/20 mostra que o setor público gastou US$ 389 anuais per capita em 2019, sendo o menor gasto per capita com saúde pelo setor público se comparado aos cinco países que também adotam como modelo o atendimento universal de saúde: a Argentina, o Canadá, a Espanha, França e o Reino Unido, sendo que na Argentina chega a US$ 959 anuais per capita.
Some-se a isso podemos citar o crescente e progressivo empobrecimento da população associado ao aumento da longevidade. 

Revista APCD-RP: Com a realidade imposta pelo Covid 19 e a Pandemia, o que mudou? Realmente algo desafiador? 
Helena Yuri: Bastante desafiador! No início precisamos lidar com o desconhecimento sobre tudo relacionado à Covid-19 e tudo que desconhecemos nos impõe medo. 
Também precisamos lidar com a falta de insumos, especialmente EPI´s. Ao longo do tempo foi preciso lidar com o cansaço à beira da exaustão física, emocional e psicológica.
E passados 2 anos, seguimos na montanha-russa das variantes, sendo que a Ômicron em especial tem provocado um volume avassalador de afastamentos de profissionais da saúde.

Revista APCD-RP: Quanto aos profissionais de Odontologia neste contexto de Pandemia, tem dado a sua contribuição? 
Helena Yuri: A Odontologia foi bastante impactada pela pandemia devido à grande quantidade de aerossóis gerada durante o atendimento, sendo necessário aumentar os intervalos durante os atendimentos para possibilitar adequada higienização dos consultórios, além de impossibilitar atendimento simultâneo em mais de uma cadeira sem as devidas barreiras de proteção. Os cirurgiões dentistas que atuam em UBS´s foram incitados a colaborar no combate à pandemia e especialmente na UBS Parque Ribeirão envolveram-se na coleta de swab para exames RT-PCR, triagem, orientação e direcionamento de pacientes.

Revista APCD-RP: Dos muitos anos dedicados a Gestão da UBS Parque Ribeirão, o que leva de mais marcante, de maior aprendizado? 
Helena Yuri: Envolver a equipe em prol de um único objetivo: o atendimento à população da área de abrangência da unidade, sempre buscando, dentro das nossas competências institucionais, fazer todo o possível para atender o paciente em suas reais necessidades.

Revista APCD-RP: Atualmente atua na Unidade do Quintino Facci, o que faz, o que mudou? Como está se sentindo nesta nova fase?
Helena Yuri : Faço mais do mesmo, por assim dizer. O que mudou foi o local e as pessoas, mas os objetivos seguem os mesmos. Sinto-me revigorada por poder continuar a desenvolver a atividade pela qual me apaixonei - lidar com pessoas e assim continuar a promover saúde à população.

PARA OS EM INÍCIO DE CARREIRA, DRA HELENA YURI RECOMENDA:
“SEJA FIEL AOS SEUS VALORES E BUSQUE INCESSANTEMENTE SEUS OBJETIVOS”


Revista APCD-RP: O que diria para quem está começando como profissional de Odontologia ou Gestão?
Helena Yuri: Seja fiel aos seus valores, busque incessantemente seus objetivos e eles certamente serão alcançados!

Revista APCD-RP: Faria tudo de novo, se sente realizada?
Helena Yuri: Como disse no início da entrevista, considero-me uma pessoa privilegiada, pois tive condições de fazer o que gosto e desta forma sinto-me bastante realizada.

Revista APCD-RP: Qual a expectativa para 2022, que estamos iniciando?
Helena Yuri: 2022 será o ano de iniciar a corrida atrás do prejuízo e tentar ao máximo reequilibrar a saúde, especialmente dos doentes crônicos que já estão há basicamente 2 anos sem assistência e acompanhamento adequado. 


“Sigo fazendo gestão, nem em prol do serviço público, nem em prol de instituição público-privada, mas em prol dos pacientes e dos meus objetivos pessoais”.
Helena Yuri

 

Fonte: Revista APCD Ribeirão 
Edição - fevereiro 2022


Publicado em 16/02/2022.

APCD Ribeirão Preto

(16) 3630-0711

Avenida do Café, 1080 - Ribeirão Preto (SP)
Ops... Preencha corretamente o formulário.
Obrigado! Seu formulário de inscrição foi encaminhado com sucesso.