Dra Adriana Botelho

Mais de 30 anos a serviço da Odontologia

Dra. Adriana Botelho construiu uma carreira e trajetória invejável pelo seu dinamismo e amor a profissão. Usou seus dons e capacidades múltiplas para seu toque humanitário em todas as suas atividades: seja no atendimento público ou privado.  Protesista e especialista em estratégia em Saúde da Família, acumula experiências, em seus 31 anos de formada, tanto no consultório particular quanto em todos os setores do serviço público na Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto. Atualmente, atua como protesista no Núcleo Geral de Atendimento (NGA) dos Campos Elíseos, como membro da Equipe Técnica da Divisão Odontológica e é delegada da Seccional Ribeirão Preto do CROSP.

Com visão ampla e olhar atento as necessidades dos profissionais de Odontologia, Dra. Adriana Botelho pretende continuar contribuindo para avanços nas conquistas da classe, para melhorias no atendimento público e privado, e para a promoção da saúde bucal da população. 

Veja a seguir, na íntegra, as colocações de Dra. Adriana Botelho.

 

Revista APCD-RP: Ser uma profissional de Odontologia com suas variadas especialidades, necessidade de atualizações e afinidades com gestão, é um grande desafio? 
Dra. Adriana Botelho: Sim, um desafio imenso. No início, me causou uma grande inquietude e encontrar este equilíbrio foi árduo e necessário.  Estamos vivendo num mundo globalizado que está num movimento frenético e a Odontologia não ficou à margem. Novas técnicas, materiais e procedimentos me faziam querer buscar tudo isso, mas para cada situação existe uma decisão, e eu tinha em mente que estava começando uma nova empreitada e que apesar de atuar no SUS e ter conhecimentos de suas diretrizes, existe um abismo imenso entre teoria e prática e, por este motivo, busquei mais conhecimento para contribuir ativamente com a equipe de gestão em atenção à saúde bucal na SMS de Ribeirão Preto, dando suporte às nossas Equipes de Saúde bucal ajudando no desenvolvimento de novos processos de trabalho, com o objetivo de oferecer um serviço cada vez melhor para a nossa população. 

A experiência com a Pandemia deixou de legado para os profissionais em geral? 
Dra. Adriana Botelho: A Pandemia foi meu maior desafio pessoal e profissional. Travamos uma batalha com um inimigo mortal e desconhecido, mas tínhamos uma única meta na Divisão Odontológica chefiada pelo Dr. Artur Rocha Martini e da Equipe Técnica da qual  faço parte, que era a de proteger todos os nossos colegas  sem deixar a população desassistida. Foi constituído um grupo científico composto por Cirurgiões-Dentistas que atuam na rede que estudavam diuturnamente as novas orientações e abordagens frente à pandemia que vinham de órgãos Nacionais e Internacionais.
Tivemos que fazer algumas pequenas adequações nos consultórios, pois os mesmos já seguiam as normas da Vigilância Sanitária, trabalhamos em revezamento de profissionais dentro dos consultórios para diminuir a emissão de aerossóis dentro da Unidade de Saúde, posteriormente instalamos purificadores de ar, adquirimos face Shields e jalecos de maior gramatura, os demais EPI’S já eram padronizados pelos POP’S (Procedimentos Operacionais Padrão) da Odontologia, disponível em nosso site para consulta. Os profissionais que não estavam em atendimento em virtude do revezamento ficavam nas equipes de apoio dentro das Unidades de Saúde, e muitos de nós atuaram na linha de frente em mutirões de vacinação contra a COVID-19 nos postos volantes que foram montados em vários locais da cidade. Tudo isso deixou mais evidente que sozinhos podemos fazer algo, mas unidos podemos fazer muito.

No atendimento no serviço público, o que faz a diferença?
Dra. Adriana Botelho: O maior diferencial quer seja no serviço público ou privado são os profissionais que nele atuam. Um bom profissional consegue, mesmo mediante obstáculos, dar o seu melhor nas condições em que estiver atuando, produzindo desde bons resultados até a excelência. 

No setor privado, como encarar competitividade do mercado, É fundamental se especializar?
Dra. Adriana Botelho: Quando concluí a Universidade optei pela clínica geral, sempre investindo em cursos de atualização, capacitação e imersão nas diversas especialidades e hoje tenho a certeza que tomei uma decisão acertada. Ser uma boa generalista me proporcionou me sentir confortável atendendo dentro do serviço público que se tornou uma grande paixão, isso me impulsionou a me especializar na Estratégia de Saúde da Família, e posteriormente a possibilidade de também atuar nessa desafiadora missão que é a de fazer parte de uma equipe de Gestão em Saúde Bucal no Serviço Público. 
Acredito que cada caminho é único, que cada profissional deve sempre confiar em seus potencias e investir em seus diferenciais buscando aperfeiçoamento acadêmico. Isso certamente trará a satisfação pessoal e profissional almejada por todos. 

De uma maneira geral o atendimento humanizado é essencial?
Dra. Adriana Botelho:  A palavra que mais usamos quando pensamos em atendimento humanizado e pleno é Acolhimento. Acho que é uma das minhas palavras prediletas, sinônimo de amparo, proteção, resguardo, respeito e refúgio. Tudo que uma pessoa procura quando busca atendimento em Saúde, independente da especialidade.
Devemos ter a sensibilidade de entender que quando um indivíduo busca o atendimento em saúde, possivelmente ele estará se sentindo vulnerável, com dor, medo, dúvidas enfim, toda a sorte de sensações físicas e emocionais e é de nossa responsabilidade aplacar esses sentimentos negativos e sanar da melhor forma o problema que o trouxe até nós.

O Programa de Saúde da Família, tem sido eficaz para a melhoria da saúde bucal da população?
Dra. Adriana Botelho: A participação dos profissionais CD, ASB e TSB na formação das equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF), foi um ganho tanto para a nossa classe como para a população. A ESB (Equipe de Saúde Bucal) que atua na ESF possui um olhar ampliado que a possibilita trabalhar interprofissionalmente. Nas ações da ESF consideramos esse paciente como um todo, um indivíduo inserido num contexto familiar e social. Não há saúde bucal sem saúde geral, seja ela física ou mental. A realização das ações das ESB (equipes de Saúde Bucal) como Palestras Educativas em Saúde Bucal dentro das Unidades de Saúde para a população em geral e para os pacientes crônicos como diabéticos e hipertensos, para gestantes, realização de visitas Domiciliares, participação em reuniões de equipe para discussão de caso e norteamento de ações. Tudo isso promove a construção de uma relação paciente-profissional baseada na confiança mútua, e como consequência o alcance de resultados mais efetivos e positivos tanto na saúde geral, quanto na saúde bucal da população atendida.

O seu envolvimento nos programas e projetos da Divisão Odontológica devem continuar? 
Dra. Adriana Botelho: Nesses 25 anos de rede pública sempre estive à disposição do serviço, atuando nas mais variadas ações quando a minha presença foi solicitada. Para mim, o serviço público é mais que uma profissão; é um chamado interno, uma vocação e enquanto minhas ações forem úteis para ele, estarei presente.

O CROSP tem sido referência os profissionais de Odontologia. Pretende ampliar ações na Seccional? 
Dra. Adriana Botelho: O CROSP tem o papel regulador e zela pela ética no exercício da profissão e todo bom profissional deve respeitar e seguir esses preceitos e hoje eu tenha a honra de ocupar o Cargo de delegada Seccional de Ribeirão Preto.
Depois de tantos anos de experiência no atendimento público e privado sei que ambos têm suas fortalezas e suas vulnerabilidades, a proposta é buscar os pontos positivos nas duas linhas de atenção à saúde bucal, avaliar o melhor de cada uma e dividir com todos os profissionais que se interessarem em fazer parte desse processo. Para colocar esses planos em prática precisaremos do apoio das Associações da classe da nossa cidade, empresas e colegas que como eu, apostam na inovação do processo de trabalho, sempre tendo como norte a ética e as boas práticas na Odontologia.

Como foi a sua Participação no CIOSP?
Dra. Adriana Botelho: Foram momentos muito importantes, para mim as atividades começaram na sede do CROSP a CASA DA ODONTOLOGIA PAULISTA, quando recebi o certificado de Delegada na presença das autoridades tanto do CRO quanto do CFO e ainda participei da reunião com conselheiros e delegados, com pauta pertinente ao cargo. Depois seguimos todos para o CIOSP, para participação de uma media training. Foi intenso e enriquecedor e desejo que em momento oportuno isso se repita, para que a equipe possa se afinar e alinhar ações em prol de nossa classe.

Quais suas expectativas e projetos para 2023?
Dra. Adriana Botelho: Parafraseando Ariano Suassuna “Sou uma realista esperançosa”, Acredito na potência e capacidade de nossa classe que cada vez mais se apropria do seu espaço e se especializa, acredito no avanço exponencial de novas técnicas e materiais, mas em minha opinião tudo isso não valerá de nada se a maioria da população não tiver acesso a uma Odontologia de qualidade. Elitizar a saúde é segregar e, honestamente, já é hora de banir isso de nossa sociedade. Pode ser que seja um pensamento utópico e que no final essa conta não feche, mas eu comecei dizendo que era esperançosa e dentre tantos outros desejos que tenho para esse novo ciclo, espero Avanço profissional e social em todos os segmentos, e como cidadãos temos o compromisso de contribuir para que isso aconteça.

 

“Acredito que cada caminho é único, que cada profissional deve sempre confiar em seus potencias e investir em seus diferenciais buscando aperfeiçoamento acadêmico. Isso certamente trará a satisfação pessoal e profissional almejada por todos”. 

“O maior diferencial quer seja no serviço público ou privado são os profissionais que nele atuam. Um bom profissional consegue, mesmo mediante obstáculos, dar o seu melhor nas condições em que estiver atuando, produzindo desde bons resultados até a excelência”

“O CROSP tem o papel regulador e zela pela ética no exercício da profissão e todo bom profissional deve respeitar e seguir esses preceitos e hoje eu tenha a honra de ocupar o Cargo de delegada Seccional de Ribeirão Preto”.

Adriana Botelho.

 

Fonte; Revista APCD Ribeirão
Edição: fevereiro 2023


Publicado em 01/03/2023.

APCD Ribeirão Preto
APCD Ribeirão Preto
APCD Ribeirão Preto
APCD Ribeirão Preto

(16) 3630-0711

Rua Casemiro de Abreu, 660 - Ribeirão Preto (SP)
Ops... Preencha corretamente o formulário.
Obrigado! Seu formulário de inscrição foi encaminhado com sucesso.