EAP Cursos: APERFEIÇOAMENTO EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTES
EAP Cursos: ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA - CREDENCIADO PELO CFO
APCD Ribeirão Preto

SER PAI: responsabilidade motivadora e muito aprendizado

Paulo Alves Oliveira Jr, Artur Martini e Ricardo Calzzani e a relação com seus filhos (as). Nossa homenagem a você PAI

SER PAI: responsabilidade motivadora e muito aprendizado

A você Pai, a nossa homenagem


A emoção de ser pai é algo inesquecível desde o nascimento e em todas as fases da vida do filho ou filha. Se por um lado aquele novo ser chegue totalmente dependente, por outro nada é mais motivador do que ver o filho crescer, dando brilho a sua vida. Se por um lado o filho vê no pai um herói, sendo referência para seus atos, por outro o filho é  a razão para dar o melhor de si. É uma troca constante e uma responsabilidade para o resto da vida.
Os cirurgiões-dentistas tem se revelado pais dedicados, participativos em todas as fases da vida de seus filhos, em algumas delas até mesmo mudando  os planos e projetos para acompanhar de perto o crescimento dos seus filhos. 
Os depoimentos já feitos em anos anteriores ao Informativo da APCD-RP comprovam isso.  Neste ano de 2021, Paulo Alves de Oliveira Júnior, Artur Rocha Martini e Ricardo Calzzani revelam um pouco da emoção e da responsabilidade de ser PAI; e os filhos da relação com seus pais. 

Fica aqui a homenagem a você que é PAI.

 

Ser pai é uma graça e é para sempre, pontua Paulo Alves Oliveira Jr.

Dia dos Pais

Para Paulo Alves de Oliveira Júnior – cirurgião-dentista, deixar de atuar ativamente no dia a dia da APCD Ribeirão Preto, da qual foi um dos fundadores juntamente com outros colegas visionários, foi uma das decisões mais difíceis da vida profissional. A motivação para isso foi o nascimento de seu filho Paulo Alves Oliveira Neto, cuja crescimento quis acompanhar de perto ao lado de sua esposa Lisete.
"Fiz a escolha certa, porque ser pai é uma graça, muda a maneira de pensar, é muito gratificante, apesar da responsabilidade, ser para sempre".  
Segundo ele, todas as fases desde a gestação foram tranquilas, desde primeiro dia de aula na escola, depois o fundamental e ensino médio seu filho Paulinho permaneceu no Marista, neste ano, o vestibular e já entrou na Universidade Estadual de Jaboticabal, no curso de Engenharia Agronômica.
"Ser pai é ter todos os dias algo novo para comemorar, nesta fase com algo conta, com as colocações de um jovem centrado, nos dando muito orgulho, é maravilhoso", diz ele.
Destaca que tem passado valores morais, cultivados pelas a sua família e esposa LIsete: honestidade, solidariedade, bom caráter.
"Criar um filho é como fazer um tratamento homeopático, todo dia precisa dar muitas gotinhas para ele, para ir formando seu caráter, sua visão de mundo e modo de vida. É isso que fizemos. junto com a família e a escola, o Marista, (uma excelente escola), pudemos dar uma boa formação para Paulinho Neto, hoje um jovem com excelente caráter e, com certeza, será um ótimo profissional".
"Agora ser pai desse jovem, para mim como pai sempre um menino, no futuro um engenheiro agrônomo, para mim é algo muito gratificante. Essa é uma fase maravilhosa, embora aumente ainda mais a responsabilidade, continuar presente, mesmo a distância, dando todo suporte, mas deixando bater suas asas e voar. Que seja um voo tranquilo e dê tudo certo. Terá sucesso, a vida sorri para as pessoas do bem, é o que eu penso", salienta.
Paulo Alves de Oliveira Jr está  feliz com essa nova fase a vida de seu filho.
Estou entusiasmado tanto quanto ele que tem se dedicado, embora com aulas online e em agosto deve começar o presencial, está se organizando para isso. Está preparado, valeu a pena o tempo dedicado. Vamos em frente para o próximo capitulo com desfecho final, terminando a nossa missão com a colação de grau, como engenheiro agrônomo. Mas nunca termina a nossa a missão de pai, é uma missão para todo dia e para toda a vida.".

 

"Meu pai é minha referência", diz Paulinho Neto 

 

"Meu pai sempre é uma pessoa muito importante e presente, uma figura em que sempre me inspirei. Desde criança sempre me ajudou, me dando a educação, dando referências para minha formação. Sem seus ensinamentos e posturas, eu não seria a pessoa que sou hoje.
Seus atos e posturas influenciaram bastante minha personalidade e minhas atitudes, mas mesmo quando eu não as adotava, sempre me apoiou em minhas próprias decisões. Agora eu tenho 18 anos e ele continua sendo essa pessoa que me apoia e me motiva.  Sinto que a pessoa que eu sou hoje se deve muito a ele.

O apoio do meu pai foi determinante para a minha aprovação na faculdade. O ano de 2020 foi um ano difícil para todos nós, com a perda de um ente querido de nossa família, devido a pandemia. Eu, consequentemente, acabei ficando bem desmotivado. Mesmo assim, meu pai, uma pessoa muito forte, me ajudou a passar pelos "obstáculos". Se eu não tivesse tido todo o apoio emocional, ajuda com o estudo, conselhos e o seu Incentivo, não teria conseguido entrar na faculdade. 
Quando eu decidi cursar Engenharia Agronômica, ficou bem surpreso, pois sempre demonstrei muita aptidão em música e interesse na área jurídica, mas ficou muito feliz com a minha escolha e tem me apoiado, como sempre. 
O meu futuro profissional ainda vou definir, para isso conto com o apoio e incentivo de meu pai, que atualmente tem me mostrando como está o cenário nacional e as inúmeras notícias da área da Engenharia Agronômica. 

"Pai, você sempre foi minha referência. Sem seus ensinamentos e posturas, eu não seria a pessoa que sou hoje. 
É muito bom ter você como pai, saber que posso contar sempre com você para o que der e vier." 
Paulo Alves de Oliveira Neto

 

 

"Ser pai é maravilhoso, mais se aprende do que se ensina" frisa Artur Rocha Martini

 

Foi muito maravilhoso saber que estava transmitindo o DNA, para duas riquezas incontestes, as suas duas filhas. A afirmação de Artur Rocha Martini, cirurgião-Dentista, endodontista, pai de Martina e Pietra Martini. 
"Foram duas situações distintas, ambas cheias de emoção e muita, mas bota muita, felicidade. Esses sentimentos se tornaram constantes e a cada dia eu aprendo mais com elas, estou convicto, mais aprendo do que ensino", ressalta Martini 
Segundo ele, são muitos  momentos marcantes que passaram a fazer parte de sua vida.  "Momentos inesquecíveis: o primeiro banho, o primeiro engatinhar, o primeiro passo. A primeira coisa azeda que elas  colocam na boca.... E as vezes, dão risadas. Até as primeiras Letrinhas esgarranchadas parecidas com as do pai, emociona. O Primeiro teatro na escola, a música fica na memória para sempre".

Foto: Artur, Martina e Pietra Martini

De cordo com Artur Martini, felizmente as experiências vividas nos dão condições de orientá-las para ir tirando as pedras do caminho. "Aprendendo a ser honestas e solidárias, o restante se aprende naturalmente", pontua ele, acrescentando ser Instigante acompanhar a evolução de cada uma delas, estudando, adquirindo conhecimentos, as fases vão se sucedendo. trazendo novas emoções, e a responsabilidade vai aumentando.  
Atualmente Pietra está fazendo o secundário e Martina entrou na Faculdade este ano. 
Artur Martini,ressalta "Não é fácil servir de referência no mundo em que vivemos, porém importante é darmos uma boa formação para serem pessoas com bom caráter e do bem. É o que tenho passado para minhas filhas".
 

"Meu pai sempre me inspirou", pontua Martina Martini
"Meu pai, Artur Rocha Martini, sempre foi muito presente, mesmo não estando comigo todos os dias. Por isso, ele teve um papel muito importante na minha educação e na minha personalidade. Sua personalidade e sua maneira de ser sempre me inspirou, admiro muito a forma como trata as pessoas e como sempre persiste e conquista o que quer.
Não foi por acaso que coloquei em meu facebook "toda primeira filha nascida é a versão feminina de seu pai". Meu pai se emociona com as nossas afinidades e eu estou convicta, não é mera coincidência eu buscar sempre a sua aprovação e repetir os passos dele.
A minha escolha de cursar Relações Internacionais na Universidade Católica de Santos também tem a ver com meu pai, que teve a coragem de optar por fazer algo totalmente diferente do "ramo da família", correndo atrás dos seus sonhos, sempre podendo contar com apoio familiar.
Embora, surpreso a princípio, está me dando a maior força. Escolhi esse curso por acreditar ser essa a minha vocação. Está me dando suporte nesta nova fase, sei que posso contar sempre com meu pai.
Pai, você é incrível, eu te amo demais, por você ser exatamente como é."
Martina Martini 


"Meu pai é maravilhoso", diz Pietra Martini
"Eu gosto muito da maneira de ser de meu pai. É amigo, brincalhão, protetor, mas muito protetor mesmo, está sempre cuidando de mim. Nunca esquecerei as músicas para dormir que cantava quando pequena, nem o seu pedido para não mais andar de patins, quando cai e quebrei o pulso, nunca mais andei.
Meu pai trabalha bastante e isso é para conseguir tudo de melhor para nós, a família. É muito bom estar com ele, está sempre nos fazendo sorrir com suas piadas. Faz almoços e churrascos deliciosos, fala o tempo todo, aí eu vejo para quem eu puxei, pois gosto demais de ficar conversando sem parar.
Nos estudos, me ajuda muito nas tarefas, principalmente em matemática. A gente conversa sobre muita coisa, até sobre o quero estudar, então falo que quero fazer intercâmbio e me interesso por canto, hotelaria e arqueologia.
Enfim, gosto de fazer muita coisa com meu pai: passear, brincar, andar de moto, mas o que mais gosto mesmo é de viajar, no caminho a gente vai se divertindo muito, ele sempre parando para comprar guloseimas deliciosas.
Pai você é maravilhoso, é o melhor pai do mundo!"
Pietra Martini

 

Ricardo Calzzani com os filhos Yuri e Sofia
 

Ricardo Alexandre Junqueira Calzzani, endodontista e clinico geral, é pai de 3 filhos: Yuri Sanerip Calzzani, 24 anos, Tomás Focosi Calzzani, há 3 anos se tornou anjo da guarda da família  e Sofia Focosi Calzzani está com 1 ano e 3 meses. 
Segundo ele, em todas as três gestações foram como uma montanha russa de emoções e reflexões: felicidade, ansiedade, frio na barriga, esperança que tudo dará certo, a experiência de presenciar a ternura e o amor materno, o que fazer e como fazer para ser um bom pai e para educar.
"Não tem uma palavra ou expressão no vocabulário que consiga sintetizar as sensações que senti no primeiro momento que vi os meus filhos ao nascerem, o que chegaria mais próximo seria AMOR INCONDICIONAL", salienta ele.

Ricardo Calzzani, destaca que quando o Yuri nasceu tinha apenas 17 anos, então foi uma loucura sem tamanho, ser tornar pai tão jovem, um verdadeiro SE VIRA NOS 30. Foram várias mudanças de planos, queria prestar vestibular, mas acabou indo trabalhar e decidiu dedicar os tempos vagos para poder o filho crescer.
A chegada do Tomás era muito aguardada e a grande mudança foi ter de aprender a ter um anjo da guarda como filho em casa. "Como é importante ter amigos e familiares em momentos difíceis da vida", diz. 
Já  a chegada da Sofia me fez olhar diferente para o relógio. "Hoje percebo que estou sempre correndo para chegar mais rápido em casa e poder aproveitar o máximo esta fase da infância dela que passa tão rápido". 
Foram muitos momentos marcantes que tive com o Yuri. "Ficaram em minha mente algumas cenas:  o nascimento, é uma fotografia gravada em minha memória, a despedida quando foi para São Paulo morar com a mãe e o retorno, quando voltou para morar comigo em Ribeirão, para prestar vestibular".
Quanto aos menores, ressalta que "O Tomás me acompanha todos os dias, desde a hora que me levanto até a hora que me deito. Para a Sofia cada sorriso é um flash, eita menina que me deixa derretendo de amor. O que mais me marca nela é sentir o quanto ela gosta de fazer parte da nossa família e o quanto ela é feliz e sorridente". 
Com a chegada da caçula, mudou e o propósito é "andar mais devagar para poder chegar mais longe com saúde e aproveitar os momentos mais simples".
"Os valores mais importantes que tenho buscado transmitir para os meus filhos são : FÉ e SABEDORIA, que por sinal é o significado do nome Sofia,"acrescenta. 
"Aprendi que ser pai é ser um eterno aprendiz; agradeço muito todos os dias por todo conhecimento e todos os desafios que vivencio por ser PAI, conclui.

 

"Yuri, Tomás e Sofia, papai ama muito vocês".

 

A tatuagem é uma forma de Ricardo Calzzani  declarar seu amor incondicional aos dois filhos e a filha.

 

Meu pai me ensinou a sorrir", diz Yuri Calzzani.

"Agradeço de todo o coração por sempre me incentivar a ser independente, correr atrás dos meus objetivos, por incentivar o meu apreço pela literatura e pelos estudos. Obrigado por me ensinar a sorrir e apreciar a qualidade de todos ao meu entorno. Te amo pai."
Yuri Calzzani.

(16) 3630-0711

Avenida do Café, 1080 - Ribeirão Preto (SP)
Ops... Preencha corretamente o formulário.
Obrigado! Seu formulário de inscrição foi encaminhado com sucesso.