EAP Cursos: APERFEIÇOAMENTO EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTES
EAP Cursos: ESPECIALIZAÇÃO EM ENDODONTIA - CREDENCIADO PELO CFO
APCD Ribeirão Preto

Mordida Cruzada Profunda

Entenda como identificar e tratar

Mordida Cruzada Profunda

O simples ato de sorrir, apesar de demonstrar alegria, pode ser também uma experiência desagradável para uma pessoa com desalinhamento dentário. Essa condição ocorre por vários fatores, mas as causas mais prevalentes são por mordida cruzada ou profunda. Ambos os distúrbios causam contatos desarmônicos entre os dentes superiores e inferiores, levando a uma série de problemas associados.

Em uma mordida normal, os dentes superiores ficam posicionados à frente dos inferiores, se encaixando de forma correta e saudável. Porém, quando se trata de mordida cruzada, os dentes inferiores cobrem um ou mais dentes superiores no momento em que a pessoa morde e, nos casos mais sérios, pode dar a aparência de que a boca está “torta”. Em relação à mordida profunda, os dentes da arcada dentária superior cobrem exageradamente de forma parcial ou total os dentes inferiores.

“Esses desalinhamentos são capazes de comprometer a estética facial e alterar seu desenvolvimento, pode provocar dores de cabeça e desgastes irregulares nos dentes”, explica a Dra. Luciana Aparecida de Sousa Iwamoto, cirurgiã-dentista e presidente da Câmara Técnica de Ortodontia do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP).

Ambas as más oclusões são relativamente comuns, surgindo principalmente na infância, e a ausência do acompanhamento odontológico especializado e de tratamento aumentam as chances de complicações na cavidade oral e surgimento de doenças bucais, como a cárie dentária.

“A mordida cruzada pode trazer ainda outros riscos, como bruxismo, dores nas articulações, retração gengival, fratura e perda de dentes. Além disso, mesmo que seja moderada, ela afeta a aparência do sorriso, e consequentemente, a autoestima”, diz a cirurgiã-dentista.

A mordida profunda, além de afetar a estética do sorriso, pode interferir nas gengivas dos dentes superiores e no palato (céu da boca). “Em crianças e adolescentes que ainda estão em fase de crescimento, a mordida profunda pode levar a problemas na mandíbula, já que essa condição provoca uma espécie de travamento nesse osso, prejudicando o desenvolvimento correto da área e podendo, inclusive, afetar as articulações”, detalha.

Por isso, é importante que, no caso de suspeita de alguma dessas más oclusões, o problema seja tratado ainda durante a infância para manter o bom desenvolvimento da fala, respiração, mastigação, entre outras funções relevantes do organismo.

Consultar o cirurgião-dentista é essencial para o diagnóstico e o tratamento pode variar em cada caso, sendo recomendado o uso de aparelhos ortodônticos fixos e removíveis para correção da posição dos dentes. Dependendo do nível de desalinhamento dentário, a realização de cirurgia corretiva para reposicionar os maxilares pode ser necessária.

“A melhor prevenção é que as consultas odontológicas sejam feitas desde o nascimento, pois muitos cuidados podem ser tomados para se evitar problemas, como orientações quanto à postura de amamentação, hábitos de sucção e alimentação, escolha dos recursos mais adequados. Quanto antes for diagnosticado o problema, mais rápido serão oferecidas opções para correção da má oclusão”, completa a Dra. Luciana.


FONTE: Assessoria Imprensa CROSP
www.crosp.org.br


Publicado em 28/10/2021.

(16) 3630-0711

Avenida do Café, 1080 - Ribeirão Preto (SP)
Ops... Preencha corretamente o formulário.
Obrigado! Seu formulário de inscrição foi encaminhado com sucesso.